domingo, 27 de fevereiro de 2011

Tanques alemães da Segunda Guerra Mundial: Panzer VI - Tiger I (Tigre I)

Tanque pesado PzKpfw VI - Tiger I (Tigre I)
SdKfz 181

Origem: Alemanha
Tripulção: Cinco
Armamento: um canhão KwK 36 l/56 de 88mm; uma metralhadora MG 34 de 7,92mm coaxial; uma metralhadora MG 34 no casco; uma metralhadora MG 34 AA opcional no alto da torre
Blindagem Máxima: 110 mm; mínima: 26 mm
Dimensões Comprimento: 8,25m; largura: 3,73m; altura: 2,85m
Peso Em combate: 55.000 Kg
Pressão sobre o solo: 1,04 kg/cm²
Potência/peso: 12,72 cv/t
Motor: Maybach HL 230 P45 V-12 em linha, a gasolina, refrigerado a água, desenvolvendo 700 cv a 3.000 rpm
Desempenho Velocidade em estrada: 38 km/h 
Velocidade em terreno acindentado: 20 km/h 
Alcance em estrada: 100 km 
Obstáculo vertical: 0,8m 
Transposição de vala: 1,8m
Profundidade de vau: 1,2m 
Ângulo máximo de ladeira: 35°
 
 
O PZKPFW VI, conhecido como Tigre e sua variação o Tigre II ou Tigre Real, foi o fruto do projeto entre os concorrentes Porsche and Henschel, encomendado pelo governo alemão,devido à necessidade de um blindado que fosse um rival à altura do T-34, que era muito superior aos Panzer III e IV. O modelo de Henschel foi o escolhido depois de uma série de competições e acabou sendo encomendado pelo governo alemão.

O Tigre era um blindado de 58 toneladas, armado com um canhão 88 e duas metralhadoras de 7.92 mm com um comprimento total de 9 metros,4 metros de largura e altura de 3,2 m. impulsionado por um motor Maybach a gasolina de 700 hp, era um blindado poderoso em todos os aspectos.
O primeiro pelotão de Tigres AUSF.E foi introduzido na Primeira Companhia da sPzAbt 502 em Leningrado em Agosto de 1942. Estes 4 blindados foram postos fora de ação durante o mesmo dia, inicialmente por estarem atuando num terreno pantanoso, extremamente desfavorável para os mesmo. Apesar deste começo ruim, um fato interessante é que nenhum dos quatro teve a sua blindagem penetrada pelo fogo dos antitanques russos, sendo colocados fora de ação mais por danos na esteira ou mesmo imobilidade. Agora o mais interessante é que até meados de 1943, os Tigres da Primeira Companhia, foram responsáveis por 1/4 dos tanques destruídos do front russo!

No mesmo ano de 1942, os Tigres começaram a serem entregues na Rússia, à África e Itália e vários centros de treinamento foram fundados na Alemanha e na França. Os Tigres entraram em serviço com dez batalhões de tanques pesados na Wehrmacht, 3 na Waffen SS e 1 no batalhão de treinamento. O conceito original das chamadas Schwere Panzer-Kompanien (Companhia de Tanques Pesados) era uma organização de três pelotões (Zuege) que continha um total de nove Tigres, sendo que mais tarde foram incluídos 10 Pzkpfw III, para completar a companhia.

As primeiras companias operacionais foram a 501, 502 e a 503. Veja o nosso layout inicial da formação. Muitos dos comandantes começaram a contestar a utilização dos Panzer III para realização de operações das quais os Tigres não eram habilitados (como por exemplo reconhecimento). Depois de muitos pedidos ao comando, os Panzer III foram trocados pelo SdKfz 250, que formavam o chamado Abteilung-Stabskompanie (Pelotão de Comando do Batalhão), para a realização de operações como reconhecimento, direcionamento de fogo, radio operações, etc. A partir daí uma nova organização de 14 Tigres por Campânia foi mantida até o final da guerra.

As Schwere Panzer-Kompanie 501 e 502, criaram o chamado Heerestruppen (unidades independentes do exército, que mais tarde foram incorporadas na Panzer-Abteilung 501, e duas novas unidades foram criadas, cada uma com 2 companias e incorporadas na Panzer-Abteilung 502 e 503. General Guderian entretanto com sua visão fenomenal sobre a arma Panzer, converteu estas unidades em grupamentos puramente de Tigres com 45 Tigres com três Tigres no comando e grupos de 14 tigres, cada um divididos em 3 Companias (Ver esquema).



::: Táticas de Combate

Os Tigres quando iam as batalhas, iam em 4 formações básicas, em linha (Linie), com o líder de pelotão (Zuegfuherer) na extrema a direita, a linha vertical (Reihe), com o líder de pelotão no terceiro veículo, a linha dupla (Doppelreihe), num formato de caixa com o líder (muito utilizada para aproximação), com o líder no topo da linha da direita e por último a cunha (Keil), a mais utilizada para ataques com o líder de pelotão, juntamente com o líder de seção separados 100 metros.
Normalmente a formação preferida pelos pelotões de Tigre, era a de cunha, pois de acordo com seus comandantes era a mais fácil de defender um terreno e mudar de direção de maneira rápida. Esta tática foram desenvolvidas em várias situações de guerra, e obviamente que cada comandante tinha sua maneira de atacar o inimigo.





::: Esquemas de Cores e Símbolos

Cada blindado não seguia exatamente um padrão, ou melhor devido ao teatro que eles operavam, poderiam existir variações de cores. A tinta alemã que pintava os carros de combate vinha em pó e normalmente era dissolvida com gasolina ou querosene, cabendo a cada tripulação ter seu padrão. Contudo certas cores básicas foram adotadas em diversos cenários.


Schwere Panzer
Abteilung 501
 
Schwere Panzer Abteilung 502
(1942) 
 
Schwere Panzer Abteilung 502
(1943) 
 
Schwere Panzer Abteilung 505
(1944-45)

Schwere Panzer Abteilung 505
(1943-44) 
 
Schwere Panzer Abteilung 507 
 
Schwere Panzer Abteilung 506 
 
Schwere Panzer Abteilung 510

Schwere Panzer Abteilung 509
 
Führerbegleit
Rgt.Grossdeutschland
(Waffen SS)
 
2. SS-PzD (1942-1945) 
Das Reich


1.SS-PzD (1941-42)
"Leibstandarte Adolf Hitler"
 
8.schwere Pz.Kompanie
Tigerabteilung (Kursk) "Das Reich"
Inoffizielles Zusatzsymbol

3.SS-PzD (1940-1945)
Totenkopf


Totenkopf - Verão de 1944 
 
SPzABT 503 - Rússia 1943

SPzABT 502 - Normandia 1944

Das Reich - Rússia 1943 
 
SPzABT 510 - Verão 1944

GrossDeutschland - Rússia 1943 
 
SPzABT 504 - Tunísia 1943 
 

SPzABT 502 -Leningrad 1942



 
 
::: Ases de Tigre :::

Otto Carius nasceu em 27 de maio de 1922 em Zweibrucken, Rheinland-Pfalz no sudeste da Alemanha. Quando se graduou em sua escola, a segunda guerra mundial eclodiu e ele se alistou como voluntário e 104o. batalhão de infantaria, onde foi seguindo treinamento, até ser comissionado no 21o. regimento Panzer como artilheiro em um Pz-38, durante a Operação Barabarossa. Depois de um ano de guerra Carius foi aceito para o curso de formação de oficiais e depois de concluído foi integrado ao 502 em abril de 1943. Neste batalhão recebeu seu primeiro Tigre como comandante de tanque na 2 Campânia do 502, que foi posicionada em Leningrado. Durante esta fase destruiu vários tanques russos, entre eles SU-85, T-34s, etc. Em Junho de 1944 foi transferido para Dunaburg para defender uma linha vital Alemã, contra um grande ataque russo. Nesta batalha com 2 Zugs de Tigres destruiu nada menos que 14 T-34/85 e um JS-1.


Em Agosto de 1944 Carius recebeu o comando da 2a. Campânia em Paderbonto da nova Panzerjager Abteilung 512, armada com os poderosos Jagdtigers. Em Março de 1945 com seu grupamento ainda em fins de treinamento dirigiu-se as pressas para a famosa defesa do Reno, e no dia 15 de Abril de 1945 se entregou aos americanos. Carius ganho a Cruz de erro de Espadas e Diamantes e depois da guerra, abriu uma farmácia que tinha o sugestivo nome de Tiger Apotheke.



SS-Hauptsturmfuhrer Michael Wittmann era uma verdadeira lenda viva como comandante de tanques na segunda guerra, nascido em 22 de abril de 1914 em Vogelthal pero Oberpfalz. Filho de fazendeiro, chegou a servir por 6 meses no Reichsarbeitdienst - RAD (Corpo de Trabalhadores Alemães) e me 1934 se alistou como soldado servindo até em 1936 como suboficial. Em 1937 entra na Waffen SS no famoso Leibstandarte SS Adolf Hitler e no mesmo ano recebe seu treinamento em carros de combate em Sd.Kfz.222 e no 232. Em 1939 recebe o comando em Sdkfz 232 na campanha polonesa. Em 1939 serviu na 5a. Panzerspähkompanie e em Fevereiro de 1940 ba SS-Sturm-Batterie do LSSAH .

Em 1941 é transferido para leste para a Operação Barbarossa, onde recebeu a sua primeira Cruz de Ferro de segunda classe pela destruição de tanques russos, nos meses ano recebe a Cruz de Ferro de 1a. Classe pela destruição de seis tanques russos em um simples combate.



Durante 1942 continua executando grandes atos no front russo, até em 1943 quando recebe seu primeiro Tigre, conseguindo fatos como destruir mais de 30 tanques soviéticos com ele. No final de 1943 é transferido para a Itália para tarefas de treinamento em 1944 já tinha cerca de 56 tanques destruídos em sua contagem, levando a ganhar a Cruz de Ferro de Cavaleiro. A lenda de Wittman foi criada no famoso episódio do Villers-Bocage, uma semana depois do dia D. Wittmann com 6 Tigres destruiu 4 Sherman Firefly, 20 Cromwell, 3 Stuart, 3 M4 Sherman OP, 14 meia-lagartas, 16 Bren e 2 canhões de 6 pdr, e ainda paralisou por um bom tempo o avanço, recebendo a Cruz de Ferro de Cavaleiro com Folhas de Carvalho das mãos do próprio Hitler.

Contudo dia 8 de agosto de 1944 Wittmann desconhecendo a existência de reforços aéreos dos aliados, o Ás foi para combate, tendo seu Tigre atingido por uma bomba aérea na parte de trás, onde a blindagem era menor em Caen. Foi sepultado ali mesmo num túmulo não identificado, mas em 1983 seus restos mortais foram achados durante as escavações de uma estrada e transplantados para o Cemitério Alemão "De La Cambe" na Normandia, França. Em toda a sua carreira ele destruiu cerca de 170 tanques.
 
 
Bibliografia / Fotografias :

Squadron Signal Books - Tiger in Action
Arnor Site - http://www.fprado.com/armorsite/main.html
Achtung Panzer - http://www.achtungpanzer.com
Panzer Divisional Markings -http://germandressdaggers.com/
Tiger Information Center - http://www.alanhamby.com/gallery.html

Texto extraido do Livro - Tiger Fibel, Módulo do Tanque Tigre Para o Jogo Cruz de Ferro
Autor: Antonio Marcelo
Os direitos autorais deste livro estão feitos em nome de Antonio Marcelo, Jorge Benets e Helder Faragoma - Fundação Biblioteca Nacional, escritório de direitos autorais. Contudo o mesmo está disponível para reprodução sob a creative commons licence, desde que seja mantido o nome dos autores e as referências aqui feitas na parte de bibliografia da obra. Copyleft Riachuelo Games 2004.- www.cruzdeferro.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário